PT EN

Touchpoints

A criação, por Brazelton, do conceito «Touchpoints» enquanto modelo filosófico que explica o desenvolvimento humano modificou, significativamente, o modo de intervenção dos profissionais envolvidos com a criança, enquanto educadores que aprendem a privilegiar, assumidamente, a relação Bebé-Família.

«Touchpoints» consiste numa abordagem teórica e prática de um modelo de desenvolvimento perspectivado em torno de momentos chave, focado no bebé/criança e centrado na família, que visa potenciar a competência parental na construção da relação pais-filhos e criar uma aliança entre os pais e os profissionais que fazem parte do seu sistema.
Este modelo aplica-se desde um período pré-natal e estende-se ao longo do desenvolvimento da criança, tendo como paradigma o recém-nascido e uma estratégia prática que promove os alicerces vitais para um desenvolvimento mais saudável. Para alcançarem melhores resultados, as crianças precisam de ter pais convictos das suas competências e capacidades.


O Modelo Touchpoints envolve um trabalho articulado entre os profissionais e os serviços de saúde, educação e sociais ligados à criança procurando criar uma linguagem comum e responder às necessidades das crianças e das suas famílias.
Este modelo pressupõe uma transformação no trabalho com as famílias ao focar-se nas suas forças e ao assumir uma postura colaborativa e um envolvimento empático. Esta mudança de atitude é sustentada por oito princípios e seis pressupostos parentais:

Princípios

  • 1. Valorize e compreenda a relação que estabelece com os pais
  • 2. Reconheça o que traz para a interacção
  • 3. Focalize na relação pais-criança
  • 4. Utilize o comportamento da criança como a sua linguagem
  • 5. Procure oportunidades para apoiar a mestria
  • 6. Valorize a paixão onde quer que a encontre
  • 7. Esteja disponível para discutir assuntos que vão para além do seu papel tradicional
  • 8. Valorize a desorganização e a vulnerabilidade como uma oportunidade

Pressupostos Parentais

  • 1. Os pais são os peritos nos seus filhos
  • 2. Todos os pais têm forças
  • 3. Todos os pais querem fazer o melhor com os seus filhos
  • 4. Todos os pais têm algo de fundamental a partilhar em cada etapa do desenvolvimento
  • 5. Todos os pais têm sentimentos ambivalentes
  • 6. A parentalidade é um processo de tentativa/erro